Em Pedagogia Científica, os telaios são apresentados no Capítulo “O homem vermelho e o homem branco”.

Antes da apresentação do material, Montessori discorre sobre “A análise dos movimentos e a economia de movimentos”.

De acordo com Montessori (1912), analisar os movimentos é procurar reconhecer e executar exata e separadamente gestos sucessivos.

Vestir-se exige movimentos complexos como abotoar botões, por exemplo. Habitualmente, executamos tal ação de forma automática, imperfeita, descuidada. A consequência dessa rusticidade e inexatidão é termos roupas estragadas em pouco tempo de uso, quando poderíamos prolongar sua vida útil.

Sobre a Economia de Movimentos, Montessori (1912) diz que não executar nenhum movimento supérfluo é alcançar o grau de perfeição.

Muitos de nós, adultos, somos rotulados como desastrados ou estabanados, quando apenas nos faltou a oportunidade de refinar nossos movimentos, de treinar essas habilidades na infância. É na infância que mora o desejo de se aprender a fazer isso com exatidão e perfeição até a exaustão.

Telaios de Vida Prática – Entre outros objetos que exercitam as crianças na análise de seus movimentos, podemos referir o quadro de madeira ao qual se fixam dois retângulos de tecido. Esses tecidos são unidos ou fechados de diversos modos: com botões, presilhas, laços, fitas, colchetes, fechos automáticos, etc. Servem para desenvolver a habilidade dos gestos que se fazem ao vestir-se; as duas peças de fazenda devem, primeiramente, ser justapostas com precisão de tal modo que, em ambos os tecidos, haja uma correspondência recíproca entre os buraquinhos por onde há de passar a fita, entre os botões e suas casas, entre os ilhoses e os laços, etc. Isso requer da criança variadas manobras, por vezes, bem complexas, que a levam a coordenar os gestos sucessivos que terá que fazer, um após o outro. Um exemplo: o botão deverá ser bem segurado entre os dedos, enquanto que a outra mão empurra o tecido com a casa do botão até fazer com que este, em posição correta, atravesse a casa, e fique ajustado em sua devida posição (Montessori, Pedagogia Científica).

O objetivo dos telaios é que a criança desenvolva habilidades para vestir-se ou despir-se com autonomia. Inicia-se com o velcro e depois vai se aumentando as dificuldades, sempre trabalhando um estímulo por vez.

Um pouco da nossa vivência

Vez ou outra me arrisco a fazer algumas coisas artesanais em casa, como um painel de rotina que ficou bacana. Pensei muitas vezes em fazer eu mesma algo parecido com os telaios, usando feltro, talvez. Pensava e não fazia. Nunca saiu.

Mas, sempre que eu ia vestir uma calça ou bermuda que tinha um laço eu não conseguia. A menina queria fazê-lo. Eu tentava calçar meu tênis sozinha e não conseguia. A menina queria fazê-lo. Eu queria abotoar meu casaco, fechar meu zíper sozinha. E a menina queria fazê-lo. Era uma necessidade. Ela queria aprender a fazer todas aquelas coisas que me via fazer o tempo todo. Pensei que talvez ela quisesse fazer nas minhas roupas, por serem maiores, mais fáceis de manusear e com mais detalhes.

Porque eu precisava atender as necessidades dela e, também, porque eu queria muito poder voltar a me vestir sozinha de novo, eu lhe ofereci nossos guarda-roupas. Todos os telaios estavam lá:

Camisas, calças, casacos e uma infinidade de peças com botões e zíperes de várias formas e tamanhos.

A menina trabalha com as roupas da mãe, depois repete nas roupas dela ou das bonecas. Aos poucos, algumas necessidades vão se acalmando, outras como o laço ainda persistem.

Sigo observando, abrindo armários e guarda-roupas.

Eu havia pensado em trazer aqui uma apresentação linda de um Telaio de Fita ou de Botões como se tem na escola, mas achei tão fantástico e providencial o vídeo do Despertar Montessori, em uma rica apresentação sobre calçar tênis com cadarço. Não precisa de Telaio. Em casa, um tênis basta!

Crédito do vídeo: (https://www.youtube.com/watch?v=wMaS6L9YDh4&t=15s)